Depressão crianças adolescentes

Depressão crianças adolescentes

A depressão em crianças e adolescentes tem sido cada vez mais diagnosticada. Estima-se que em torno de 2% das crianças e 10% dos adolescentes apresentem sintomas depressivos significativos.
Um quarto dos adultos referem que tiveram os primeiros sintomas de depressão antes dos dezoito anos. Apesar disso, a depressão nas crianças e adolescentes costuma ser negligenciada e não tratada.
A depressão prejudica o desenvolvimento escolar, afetivo e relacional das crianças, trazendo sequelas que podem persistir por toda a vida.
Em crianças pré-escolares (até sete anos) os sintomas mais comuns são as queixas físicas. É comum sentir dores frequentes e inespecífi cas (como dor de cabeça e dor de barriga). Em 70% dos casos de depressão nessa faixa etária as crianças manifestam queixas físicas de fundo emocional. Outros sintomas comuns nessa faixa etária são perda de prazer em brincar e ir à escola, ansiedade, retraimento social, hiperatividade, irritabilidade, perda de apetite e difi culdades para dormir.
Em crianças escolares (entre sete até dez anos de idade) a tristeza já é mais verbalizada e é comum a criança referir esse sentimento, além de irritabilidade e tédio. Nessa idade já é comum choro fácil,
119
desânimo, isolamento dos amigos e difi culdades de aprendizagem escolar. Podem ocorrer difi culdades de concentração, aumento da ansiedade e, em alguns casos, a criança passa a manifestar desejo de morrer.
A baixa autoestima pode ser um dos primeiros sinais de depressão nessa idade, bem como a difi culdade de relacionamentos com amigos e familiares. É comum a criança dizer que os colegas não gostam dela ou que não tem amigos. As queixas somáticas (dores) já são menos frequentes nesta faixa etária.
Em escolares e pré-escolares é muito importante que os pais observem as informações fornecidas pela escola e sejam mais atentos a mudanças de comportamento dos fi lhos. Pela difi culdade de verbalizar, é muito difícil que a própria criança expresse de maneira adequada os sintomas.
A depressão em adolescentes apresenta sintomas muito parecidos com a depressão de adultos. Entretanto, o quadro traz algumas particularidades. Os adolescentes com depressão nem sempre estão tristes. Podem fi car irritados, instáveis, com crises de agressividade e raiva. O que normalmente é visto como rebeldia pode ser o início de sintomas depressivos.
Adolescentes deprimidos podem abusar de álcool, drogas, ter baixa autoestima, insônia, perda de peso e, em alguns casos, podem machucar a eles mesmos (cortar os braços com lâminas ou objetos cortantes). Em casos mais intensos, o humor se torna deprimido a maior parte do tempo, surgindo um quadro muito parecido com o de adultos.
Adolescentes têm um risco alto de suicídio. Dessa forma, todo relato de pensamentos de morte não deve ser visto como manipulação ou tentativa de chamar a atenção, mas como algo importante e que demanda cuidados médicos e psicológicos. Sentimentos também comuns são o medo, desesperança, culpa, isolamento e problemas graves de comportamento.
As causas da depressão em crianças e adolescentes são genéticas e psicossociais. Normalmente crianças com depressão grave apresentam história de depressão na família. Ter um dos pais com depressão aumenta o risco de uma criança ter depressão em três
120
vezes. Histórico de abuso físico, sexual, emocional, bullying, morte dos pais, amigos ou familiares aumentam o risco de depressão infantil.
É comum crianças com depressão apresentarem outros problemas emocionais como transtorno de pânico, transtorno de ansiedade generalizada e transtorno obsessivo compulsivo. Quanto mais cedo se inicia o tratamento, melhor é a resposta clínica e a evolução, evitando-se sequelas comportamentais.