Caminhada e ciclismo são bons para a saúde

A atividade física regular reduz o risco de doenças tais como diabetes mellitus, doenças cardíacas e vários tipos de câncer. Uma maneira para as pessoas aumentarem os seus níveis de atividade física é através dos deslocamentos ativos - por exemplo, caminhadas e ciclismo; no entanto, a preocupação tem sido o risco potencial para a saúde da poluição do ar durante a prática dessas atividades em ambientes urbanos.
A poluição do ar é um dos principais fatores de risco ambiental para a saúde das pessoas. Um relatório recente do Royal Colleges of Physicians and of Paediatrics and Child Health sugeriu que ela contribui para cerca de 40.000 mortes prematuras por ano no Reino Unido. Uma das principais fontes de poluição do ar nas cidades é o transporte com carros, motos e ônibus. Os deslocamentos ativos podem ajudar a reduzir a emissão de poluentes. No entanto, as pessoas que se deslocam a pé ou em bicicletas em ambientes urbanos inalam mais poluição, o que pode ser prejudicial para a saúde.
Estudos anteriores realizados na Europa, EUA e em vários outros países desenvolvidos mostram que os benefícios para a saúde dos deslocamentos ativos são maiores que os riscos, mas estes foram realizados em áreas de poluição do ar relativamente baixa e a aplicabilidade de seus resultados para as cidades mais poluídas, com economias emergentes, tem sido incerta.
Pesquisadores do CEDAR, uma parceria entre as Universidades de Cambridge e East Anglia e do Medical Research Council, usaram simulações de computador para comparar os riscos e os benefícios de diferentes níveis de intensidade e duração de deslocamentos ativos e da poluição do ar em locais diferentes ao redor do mundo, utilizando informações de estudos epidemiológicos internacionais e meta-análises. O estudo, publicado no periódico Preventive Medicine, é o primeiro a modelar os riscos e benefícios das caminhadas e do ciclismo através de uma gama de concentrações de poluição do ar em todo o mundo.
Os pesquisadores calcularam que, em termos práticos, os benefícios das caminhadas e do ciclismo superam os riscos da poluição do ar na maioria das áreas urbanas em todo o mundo. Apenas 1% das cidades do banco de dados World Health Organization’s Ambient Air Pollution Database tinham níveis de poluição altos o suficiente para que os riscos da poluição do ar superassem os benefícios da atividade física depois de meia hora de bicicleta todos os dias.
O coordenador do estudo, Dr. Marko Tainio, da MRC Epidemiology Unit na Universidade de Cambridge, disse que o modelo usado indica que em Londres os benefícios da caminhada e do ciclismo superam os riscos da poluição. E que mesmo em Delhi, uma das cidades mais poluídas do mundo – com níveis de poluição dez vezes maiores do que os de Londres – as pessoas teriam um período de cinco horas por semana de deslocamentos ativos antes que os riscos da poluição superassem os benefícios das atividades físicas para a saúde.
O autor sênior da pesquisa, Dr. James Woodcock, também da CEDAR, disse que as conclusões do estudo não justificam a falta de ação no combate à poluição. E que esta pesquisa fornece um suporte adicional para o investimento em infraestrutura para levar as pessoas a andarem mais a pé ou de bicicleta, o que por si só já pode reduzir os níveis de poluição e, ao mesmo tempo, apoia a prática de atividades físicas.
A pesquisa foi realizada pelo Centre for Diet and Activity Research, da UK Clinical Research Collaboration - Public Health Research Centre of Excellence. O trabalho também foi apoiado pelo projeto Physical Activity through Sustainable Transportation Approaches, financiado pela União Europeia.
Fonte: University of Cambridge,

 

bicileta-viagem